ARTIGO – Gerenciamento emocional é fundamental para o processo de negociação

0
82

POR RENATO LISBOA*

Negociações podem ser estressantes e, muitas vezes, emotivas. Como resultado, é importante que os negociadores tenham habilidades de gerenciamento emocional bem desenvolvidas para manter o foco e alcançar o sucesso.

Aprender o gerenciamento emocional pode influenciar em uma negociação de várias maneiras. Primeiramente, pode ajudar a manter o equilíbrio emocional em uma situação de alta pressão, permitindo que a pessoa mantenha a clareza mental necessária para tomar decisões estratégicas.

Além disso, a leitura das emoções das pessoas pode ser muito útil durante o processo de negociação. O conhecimento de como as emoções influenciam o comportamento humano pode permitir que os negociadores ajustem suas abordagens e se adaptem às necessidades emocionais da outra parte.

Por outro lado, a falta de habilidades de gerenciamento emocional pode ter efeitos negativos em uma negociação. Se uma pessoa não sabe lidar com suas emoções ou com as emoções dos outros, ela pode se tornar reativa ou tomar decisões precipitadas que prejudicam a negociação.

O gerenciamento emocional é uma habilidade que pode ser adquirida. As pessoas podem aprender a identificar e regular suas emoções, assim como entender como as emoções afetam os outros. Existem várias técnicas que podem ser usadas para ajudar a desenvolver essas habilidades, como meditação, exercícios de respiração, terapia, coaching e muito mais.

Renato Lisboa, responsável pela maior negociação trabalhista do Brasil (Ouro Preto, 2015) ressalta que em um processo de negociação é importante usar várias técnicas simultaneamente, não apenas para entender como as pessoas se comunicam com as suas emoções, mas também para que a resposta assertiva seja imediata. Nesse aspecto, o especialista aponta que o negociador tem que sempre estar treinando os seguintes processos:

Observação: em negociação, é importante observar cuidadosamente a linguagem corporal, expressões faciais e tom de voz da outra parte para identificar pistas sobre suas emoções e estados mentais.

Perguntas: fazer perguntas abertas e específicas pode ajudar a entender as emoções da outra parte e criar um diálogo mais efetivo.

Empatia: a habilidade de se colocar no lugar da outra pessoa e compreender seus sentimentos pode ajudar a estabelecer uma conexão mais profunda e melhorar a comunicação.

Comunicação não verbal: em negociação, é importante prestar atenção na própria linguagem corporal e tom de voz para garantir que a sua mensagem seja clara e coerente com o que está dizendo.

Controle emocional: é importante também ser capaz de controlar suas próprias emoções para não ser influenciado pelas emoções da outra parte e tomar decisões baseadas em fatos objetivos.

Nesse contexto, o gerenciamento emocional é uma habilidade importante. É fundamental em qualquer processo de negociação para ser bem-sucedido.

Negociadores que possuem habilidades de gerenciamento emocional bem desenvolvidas estão mais bem capacitados para tomar decisões racionais e estratégicas, entender as necessidades emocionais da outra parte e manter a calma em situações de alta pressão. Portanto, é importante que as pessoas que cotidianamente trabalham com processos de negociação, aprendam a gerenciar suas emoções e desenvolvam essas habilidades para se tornarem negociadores mais eficazes.

*RENATO LISBOA é neuropsicanalista, especialista em inteligência emocional, autor do best seller 3 Segundos: Escolhas que transformam a vida.

BLOG DO ANDRÉ OLIVEIRA – INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui