ARTIGO – A vida a dois é um constante desafio

0
63

POR MAURO VALERI JUNIOR*

As relações amorosas não dependem apenas da vontade do casal para durar. São inúmeras as variáveis envolvidas. Existem questões emocionais ligadas à história íntima e familiar de cada um, que devem ser levadas em conta para o romance amadurecer e gere bons frutos.

O amor muda, passa por muitas fases… Conversas abertas e sinceras ajudam nesse processo de evolução. Dizer o que você realmente quer pode ser difícil e às vezes pode ser mais complexo do que se imagina. Na maioria das vezes, preferimos as indiretas, que quase sempre podem nos levar a brigas e desentendimentos por motivos bobos.

Não acredito muito em regras para as coisas funcionarem bem, como os sete hábitos das pessoas eficazes e coisas do tipo. Entendo que cada ser é único e cada relacionamento também, mas separei algumas dicas de comportamentos que com certeza podem ajudar nos momentos de conflitos com quem você ama.

Respeito em primeiro lugar! Respeite a si mesmo acima de tudo e ao seu cônjuge. Principalmente quando estiver irritado (a), evite ofensas. O diálogo é sempre a melhor alternativa, seja com os filhos, pais, entre o casal e entre nações para evitar uma guerra.

O que passou deve ficar no passado! Não trazer para o presente as questões do passado é algo libertador. A base do pensamento estoico é não dedicar energia com o passado e com o futuro, pois a única coisa que podemos de fato mudar e viver é o presente. Se você disse que perdoou, mas isso não é verdade e ainda guarda rancor ou algum tipo de mágoa, procure ajuda do (a) parceiro (a) e/ou de um profissional que possa te dar ferramentas para ressignificar um passado dolorido.

Não durmam brigados, nunca! Procure sempre resolver desentendimentos antes de dormir. Parece até besteira, mas é fundamental para a saúde mental e física dos envolvidos e faz muito bem ao relacionamento. Sem contar que as reconciliações sempre são a melhor parte das brigas.

Prefira ser feliz!  Com o passar do tempo, você passa a entender que um relacionamento exige que duas pessoas estejam dispostas a fazer dar certo, assim, compreender e usar de empatia pode ser o primeiro passo para subir de nível. Evitar discussões bobas e desnecessárias é o segundo passo. Por fim, prefira estar feliz ao lado do seu parceiro do que estar certo sozinho.

Diga “eu te amo”! É importante dizer o quanto se amam e o quanto admiram um ao outro, não por obrigação, mas de forma espontânea e de coração. Além de dizer, é fundamental demonstrar com atos e gestos no dia a dia. Pense, o que você pode fazer hoje para demonstrar seu amor?

Planos alinhados! Revejam os objetivos comuns e façam planos para alcançá-los, dividam sonhos, coloquem metas para eles. Atitudes assim reforçam a cumplicidade do relacionamento.

*MAURO VALERI JUNIOR é escritor e autor do livro autobiográfico “A história do que aconteceu com a gente”.

BLOG DO ANDRÉ OLIVEIRA – INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui