ARTIGO – Como ser desejado por bons talentos em 2021?

As empresas estão começando a voltar com novas perspectivas neste 2021. Muitas ainda estão em home office, muitas voltando à rotina do escritório, aos poucos. E muitas estão, sim, voltando a contratar para cargos de chefia. A grande pergunta é: como ser desejada, nos dias de hoje, pelos melhores talentos?

0
151

POR MARCELO ARONE*

Já se foi o tempo em que oferecer um bom salário e benefícios ou mimos era suficiente para atrair os melhores recursos humanos para suas empresas. Com a pandemia, e especialmente caminhando para uma volta cada vez maior às rotinas de escritório, vale a máxima de que a cultura do pertencimento, hoje, é um ponto fundamental.

Todo mundo quer se sentir pertencente a um grupo. Nesse caso, ter valores bem estabelecidos, um DNA empresarial fácil de ser compreendido e assimilado é o melhor caminho para atrair os talentos certos para a sua companhia.

Veja bem, a pessoa não quer mais a rotina de estar ali apenas para bater o ponto, fazer seu trabalho em horário comercial e receber seu salário todo dia 05. Ela quer sentir que faz parte de algo maior, que está ajudando a construir, e isso pode ser visto, ou podia, ao menos, antes da pandemia, em grupos de pessoas saindo para almoçar, por exemplo, usando o crachá da empresa. Literalmente, “vestindo a camisa”.

O novo talento quer pertencer ao ecossistema que a empresa cria. E, para isso, é preciso que esse ambiente seja pensado e construído exatamente para atrair essas pessoas. Quando o contratado passa a ser parte do time, muitas vezes, a empresa se torna seu sobrenome. Eu sou o Marcelo Arone da OPTME, por exemplo. Mas vemos as pessoas falando do gestor da Microsoft, do CEO da Apple, isso é ter orgulho e pertencer àquela empresa.

Com o home office, as redes sociais se tornam o maior palco para a demonstração dessa conexão com o DNA da companhia. As pessoas postam foto trabalhando e marcam a empresa. Você só faz isso quando sente que, não apenas você faz parte da empresa, mas ela e tudo que ela representa também fazem parte da sua vida.

Qual a dica? Ter valores claros e comunica-los de maneira assertiva para o mercado. Construir uma cultura organizacional sólida e que garanta que a pessoa saiba aonde está entrando e como vai contribuir. Só assim, a conexão será imediata e total.

*MARCELO ARONE é Headhunter, especialista em recolocação executiva e sócio da OPTME RH, com 12 anos de experiência no mercado de capital humano. Formado em Comunicação e Marketing pela Faculdade Cásper Líbero, com especialização em Coach Profissional pelo Instituto Brasileiro de Coaching.

BLOG DO ANDRÉ OLIVEIRA | INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui