Vereadores atendem a Amadeu e, sem diálogo com a comunidade, aprovam concessão do Saae

0
140
BASE DE APOIO AO PREFEITO BARROU TENTATIVA DE DEBATER MAIS O ASSUNTO, ESBOÇADA PELA COMISSÃO DE OBRAS E INFRAESTRUTURA 


A Câmara de São Mateus aprovou na noite desta terça-feira (01/12), em três sessões (uma ordinária e duas extraordinárias), o Projeto de Lei Complementar nº 23/2015, que cria a Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Saneamento, e o Projeto de Lei Complementar nº 24/2015, que outorga a concessão dos serviços públicos de água e esgotamento sanitário (Concessão do Saae).

A proposta de concessão apresentada em uma única audiência pública promovida pelo Saae e Prefeitura de São Mateus, em setembro, e foi rejeitada pela Comunidade Mateense, que pedia mais discussão do assunto. A direção do Saae até chegou a prometer que haveria outras audiências, mas o prefeito Amadeu Boroto brecou.

Enviou os projetos à Câmara de Vereadores para tramitação em regime de “urgência urgentíssima”. A base governista derrubou, na semana passada, a proposta de um seminário para explicar melhor a proposta à sociedade feita pela Comissão Permanente de Obras, Urbanismo e Infraestrutura Municipal, presidida pelo vereador Eneias Zanelato, que designou Uarlan Fernandes como relator da matéria.

Sem explicação plausível, Uarlan não compareceu às sessões desta terça-feira (01) e Eneias deu a última cartada, apresentando requerimento à Mesa Diretora para a disponibilização de assessoria técnica para auxiliar a Comissão na análise dos projetos. 


Mas o requerimento foi barrado pela base governista, composta por Judite Ribeiro, Glesson Borges, Vilmar Gonçalves, Aquiles Moreira, Zé Brasil, Valdemar Moraes (Tutu), Isaías Rosa de Oliveira e Ailton Caffeu. O presidente Gildevaldo Estêvão Bispo (Gil) não vota. Alinhado com Amadeu, ele também não fez questão dar voz à comunidade sobre o tema, apesar de ter essa prerrogativa.


SERVIDORES
Presentes às sessões, os servidores públicos municipais, que estão em greve desde segunda-feira (30/11), protestaram contra a aprovação do projeto pela bancada de sustentação a Amadeu Boroto. Eles estavam mais em função de outra proposta, também reprovada pela pela maioria governista.

Os vereadores aliados de Amadeu rejeitaram indicação de Eneias para a redução em 50% dos salários do Prefeito, do Vice-Prefeito, Secretários Municipais, Vereadores e Comissionados que recebem acima de R$ 2.000,00. A intenção era juntar recursos visando a volta do tíquete-alimentação do funcionalismo público municipal.

(Agência Visão Atalaia – Arte: Movimento Mais Diálogo em São Mateus)


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui