Água começa a chegar potável nas torneiras; poços artesianos ainda são promessa

0
19
ÁGUA DAS CHUVAS DE MINAS CHEGA AO RIO CRICARÉ, EM SÃO MATEUS, E REDUZ SALINIZAÇÃO NO PONTO DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA BRUTA DO SAAE. PREFEITO AMADEU DIZ QUE POÇOS SERÃO PERFURADOS ATÉ O PRÓXIMO DIA 15


Depois de 70 dias sem água potável nas torneiras, os mateenses comemoram a chegada das chuvas de Minas Gerais ao Rio Cricaré, o que reduziu a salinização no ponto de captação de água bruta do Serviço Autônomo de Água e Esgoto.
A salinização do Rio Cricaré já reduziu e já está próximo da normalidade na estação de captação de água bruta do Saae, no Bairro Porto.

A água distribuída pela autarquia municipal já começa a chegar potável nas residências, interrompendo um período de tristeza e angústia dos moradores, que sofreram com o atendimento emergencial por carros-pipa da Prefeitura de São Mateus e do Saae.

Mesmo com o decreto de situação de emergência, o prefeito Amadeu Boroto não conseguiu implantar boa gerência da crise hídrica. A distribuição de água em carros-pipa foi bastante deficitária e começou sem ter, ao menos, um cronograma de atendimento. Com as inúmeras reclamações, o serviço melhorou um pouco com a divulgação de um cronograma diário.

Durante o período de falta de água potável nas torneiras, o empresário Daniel da Açaí socorreu os moradores dos diversos bairros de São Mateus, com fornecimento de água mineral em carros-pipa.

A situação foi suportável porque o empresário Daniel Santana, da Água Mineral Açaí, disponibilizou as fontes de sua empresa para a população e colocou três carros-pipa fazendo o atendimento diário nos bairros durante 76 dias, numa prestação de serviço batizada de Liga da Solidariedade.

O prefeito Amadeu e sua equipe tiveram dificuldades de articulações os governos do Estado e Federal para buscar apoio. O governador Paulo Hartung enviou seis caminhões-pipa para reforçar a distribuição de água potável, mas apenas três deles entraram em operação. Mesmo assim doze dias depois que chegaram à Cidade.

Lento nas ações emergenciais, o prefeito Amadeu Boroto anunciou a perfuração de 10 poços artesianos somente 52 dias após o início da falta de água potável nas torneiras. Mas, até agora, nenhum entrou em funcionamento.

POÇOS ARTESIANOS
Declarada pelo diretor do Saae, Luiz Carlos Sossai, como inviável, a perfuração de poços artesianos foi a segunda medida emergencial mais solicitada por moradores e vereadores da Cidade. 

A informação da Prefeitura e do Saae é de que quatro poços estão sendo perfurados simultaneamente no Bairro Porto, próximo à estação de captação de água bruta do Rio Cricaré.

Durante audiência pública sobre a qualidade da água e a saúde da população, o Ministério Público chegou a recomendar à Prefeitura e ao Saae que providenciasse a redução da tarifa por conta da água salgada e perfuração de poços, dentre outras medidas. No entanto, nenhuma foi providenciada. 

O promotor Paulo Robson vistoriou a estação de captação de água bruta do Saae e ficou “indignado” com o sucateamento do maquinário público e a lentidão na adoção de medidas emergenciais.
Somente depois de 52 dias sem água potável nas torneiras é que o prefeito Amadeu decidiu pela perfuração de 10 poços artesianos na área próxima à estação de captação de água bruta, no Bairro Porto. Porém, já passa de 20 dias e até o momento nenhum poço foi entregue. A justificativa é de que o local apresenta solo arenoso, o que dificulta a perfuração.


Em entrevista ao jornal Folha Acadêmica de sábado (12/12), Amadeu Boroto disse que há quatro poços sendo perfurados simultaneamente e, até o próximo dia 15, devem estar funcionando. 

(Agência Visão Atalaia – Foto: Divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui